Pipeline e forecast são cunhados

positioning-processo-de-vendas-pipeline-forecast

 

Na política brasileira cunhou-se o termo “cunhado não é parente”. Para quem não sabe, a origem dessa velha história remonta ao caudilho Leonel Brizola quando se referia a seu malfadado cunhado, Jango Goulart.

A pipeline (ou funil de vendas) contém todas as oportunidades que estamos trabalhando num determinado momento. A pipeline pode conter inclusive oportunidades que movemos para o “estacionamento” (que decidimos não trabalhar no momento, mas às quais voltaremos em ocasião oportuna). A pipeline é uma só, embora cada oportunidade tenha um dono, com nome e sobrenome: o vendedor que a trabalha.

O forecast (ou previsão de vendas) contém aquilo que antecipamos vender em prazos determinados (o usual é a 30D, 60D, 90D e +90D0). Já o forecast não é um só. Podemos ter muitos forecasts, conforme a visão pessoal de quem faz a previsão. Me explico: uma mesma e única oportunidade da pipeline pode resultar em diferentes forecasts, para os vários níveis da hierarquia de vendas.

 

 

 

Exemplificando:

  • Um vendedor incluiu uma oportunidade “A” em sua pipeline e começou a trabalhá-la.
  • Num determinado momento ele resolve incluí-la em seu forecast. Nesse momento ele necessariamente antecipa o “quanto” ($) e o “quando” (data de fechamento).  Pode também colocar uma probabilidade de fechamento, embora isso não seja mandatório.
  • O forecast do vendedor é enviado para seu gerente, que olha a previsão para a oportunidade “A” e decide mudá-la antes de enviar para o diretor. Ele pode mudar o valor estimado e a data de fechamento.
  • O diretor, por sua vez, pode fazer a mesma coisa antes de enviar para o presidente.

Assim, podemos dizer que uma só oportunidade da pipeline deu origem a três previsões distintas de vendas. Importante: o forecast do nível de cima não invalida o do nível de baixo. No exemplo que eu dei, são três interpretações diferentes, ou três fotos distintas, do mesmo fato gerador. Isso permite que, por exemplo, o diretor queira ver o forecast do vendedor antes de endossar o do gerente.

Existem alguns mitos comuns ao forecast. Um deles é que oportunidades com datas de fechamento mais próximas devem ser incluídas no forecast antes das mais distantes. Isso parece razoável, mas não necessariamente é verdade. Um vendedor pode ter algo com previsão de entrega para 30D e que ainda não tem budget alocado, enquanto uma outra oportunidade para entrega em 60D já tem budget alocado. É normal que ele inclua a segunda oportunidade no seu forecast e não inclua a primeira. E óbvio, pode ocorrer que o negócio não incluído no forecast feche antes daquele que foi incluído. Trata-se de um simples erro de previsão… e isso acontece.

Um outro mito é que oportunidades muito recentes (em termos de inclusão) deveriam ser incluídas no forecast depois da mais antigas. Isso é uma outra falsa verdade. Qual vendedor já não trabalhou uma oportunidade “encruada”, que levou meses para virar negócio, enquanto uma outra, novinha em folha, esquentou e fechou em poucas semanas?!

Como se vê, em gestão de vendas também se faz uma grande confusão entre pipeline e forecast, que “são cunhados, mas não são parentes”. Cappice?

CONHEÇA TAMBÉM:

 

METODOLOGIA DE VENDAS AGILE

LEAN ACCOUNT PLANNING

PROGRAMA DE CRESCIMENTO DOS NEGÓCIOS

 

 

 

 

 

 


Envie este artigo por e-mail.

Voltar para a home

Posts Relacionados







4 respostas para “Pipeline e forecast são cunhados”

  1. […] 17 17UTC março 17UTC 2010 por Lázaro Molina Para começar a discussão, alguém aí poderia definir o que é Forecast de Vendas? […]

  2. This is a excellent web site, would you be involved in doing an interview regarding how you designed it? If so e-mail me!

  3. Thiago disse:

    Achei interessante você ter dito que não há então uma “verdade única” no forecast. há então a projeção de cada um de acordo com a sua percepção do negócio.

    Eu estou tentando construir um forecast mas não é de vendas, e sim, da quantidade de mailing que chega para ser trabalhado, buscando saber com antecedência a quantidade de pessoal que devo alocar para conseguir cobrir toda a minha carteira de clientes. Consegue me dar algum norte?

    • Luciana disse:

      olá,
      você deve dimensionar quantas pessoas há na sua operação / o tempo médio gasto (conversação) para cada ligação / se terá discador automático / a carga horária que cada colaborador trabalhará, por ex, etc de fatores envolvidos neste trabalho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *